ANESTESIA EM CIRURGIAS PLÁSTICAS

Como se sabe e as pesquisas confirmam, o medo sobre qual tipo de anestesia será usada, encabeçam a lista dos medos daqueles pacientes que pretendem se submeter às cirurgias estéticas. Mas a cirurgia plástica, sobretudo no tocante à anestesia, é um dos mais seguros procedimentos da medicina. Como as pacientes já na primeira consulta demonstram receio da anestesia a ser usada, nada como informações corretas para lhe dar tranqüilidade total e fazê-la aproveitar apenas o melhor da cirurgia que são os efeitos estéticos embelezadores. Não se pode esquecer que você só deve se submeter a uma cirurgia, se os exames pré-operatórios, obrigatórios, estiverem perfeitos.

Entre esses, no chamado Risco Cirúrgico, as provas de função cardíaca e pulmonar se destacam para garantir a segurança dos procedimentos. Ainda, aquelas doenças crônicas como Diabetes ou Hipertensão Arterial, necessitam estar muito bem controladas.

Saiba também que independentemente do tipo de anestesia escolhido, o anestesista da equipe, sempre estará ao seu lado o tempo todo, e atento a eventuais oscilações ou reações negativas.

       Achar-se que a anestesia local é a mais segura é ainda uma ilusão e um hábito cultural. Mas em cirurgia plástica, quase sempre se associa uma sedação quando se pratica a anestesia local, justamente para reduzir os efeitos tóxicos desses anestésicos que também tem seus limites. Então, nestes atos, a anestesia local pura, em raríssimas exceções como em retiradas de verrugas ou pintas, não existe.

As anestesias da região da coluna como Peridural e a Raquianestesia, são alternativas bastante seguras e confortáveis para as pacientes, pois atualmente, o temor da injeção neste tipo de anestesia é amenizado por uma sedação prévia e o emprego de agulhas com calibres cada vez menores. Logicamente, este tipo é melhor indicada para aqueles procedimentos que envolvam tratamento de partes do corpo da cintura para baixo, como as lipoaspirações de culotes e abdômen.

       Sobre a Anestesia Geral, a mais temida por todos, pode-se dizer que é a modalidade mais segura e conveniente para a grande maioria das cirurgias plásticas. Ela dá a toda a equipe cirúrgica, mais tranqüilidade para realizar o ato com toda a dedicação possível, ficando a paciente monitorizada o tempo todo, reduzindo as intercorrências. Ela é empregada quase sempre para alguns tipos de cirurgia, a saber: cirurgias das rugas faciais, cirurgias do nariz principalmente com quadros de desvios do septo, aquelas quando se associam cirurgias das mamas com lipoaspirações de maior porte, ou as do abdômen em associação às das mamas.

       Com o avanço da anestesiologia, o emprego de substâncias mais seguras e toleráveis pelo organismo, associada à eterna vigilância, fisioterapia pós-operatória precoce, métodos de profilaxia das tromboses venosas dos membros imobilizados, diminuiu e muito os riscos desses procedimentos cirúrgicos.

Procure uma consulta prévia com o anestesista que a assistirá no dia se possível. Isso com certeza, irá tranqüilizá-la ainda mais.

Perguntas importantes feitas durante preparo para cirurgias:

INFORMAÇÕES SOBRE ANESTESIA EM CIRURGIA PLÁSTICA (aprovadas pela SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA - SBCP) e a 
(Sociedade Brasileira de Anestesiologia - SBA)

É bom ler estas informações, com atenção, para entender melhor o que acontece antes e durante uma operação, e para conhecer as respostas certas para muitas dúvidas sobre ANESTESIA.
-O que é anestesia?
Anestesia é o estado de ausência de dor durante as operações ou exame diagnóstico, ou até curativos. Ela pode ser Geral, isto é, para o corpo todo,  ou parcial também chamada de Regional, quando apenas uma região do corpo é anestesiada. Sob efeito de uma anestesia geral, você ficará dormindo; já em uma anestesia regional, você poderá ficar dormindo ou acordado, conforme conveniência do caso. Em ambas as situações, o anestesista ou anestesiologista, vigiará as funções dos seus órgãos vitais, durante o tempo que se fizer necessário, providenciando para que seu organismo reaja da melhor e mais segura maneira possível.

-Quem aplica a anestesia?

A anestesia geral deve ser aplicada por médicos com curso de especialização em Anestesiologia de no mínimo dois anos, em Centros de Ensino e Treinamento, credenciados pela SBA - Sociedade Brasileira de Anestesiologia. O seu anestesiologista estará a seu lado, durante todo o tempo da cirurgia, exclusivamente para cuidar de você, mesmo que você não perceba ou disto não se recorde depois de terminada a anestesia.

-O que faz o médico anestesiologista?
É o médico anestesiologista quem vigia seu organismo para mantê-lo equilibrado durante a cirurgia, controlando sua pressão arterial, pulso e ritmo cardíaco, respiração, temperatura corporal e outras funções importantes para o sucesso da cirurgia.

-Quanto tempo dura uma anestesia?
   A anestesia dura tanto tempo quanto necessário para que se possa realizar o procedimento com tranqüilidade, oferecendo ainda abolição da dor por tempo variável, de acordo com a técnica e anestésico empregados, no pós-operatório imediato.

-Que tipos de anestésicos são empregados?
Existem diversos anestésicos, gerais, regionais e locais. Todos proporcionam anestesia adequada, quando convenientemente empregados. A escolha do anestésico dependerá do tipo e duração da cirurgia, bem como da situação física e emocional do paciente. Depois de estar a par de seus exames laboratoriais, da cirurgia proposta e conhecer o seu organismo, o anestesiologista escolherá o anestésico mais adequado ao seu caso em particular.

-Quem esclarece você sobre a anestesia?
Você deve conversar previamente com seu cirurgião sobre a anestesia a ser empregada, e, evidentemente com o anestesiologista que lhe irá administrar a anestesia . Porém, mais importante que isso, é o cuidado que você deve tomar ao receber informações de pessoas não especializadas ou não familiarizadas com os procedimentos cirúrgicos, pois existe ainda, muita fantasia e desinformação a respeito de anestesias.

-Quem escolhe o anestesista?
Você tem o direito de escolher seu anestesista, como o fez com seu cirurgião. Normalmente, porém, o seu cirurgião já trabalha com anestesiologistas, que o atendem normalmente e conhecem seus métodos e técnicas cirúrgicas próprias, fazendo parte de sua equipe, o que torna o procedimento anestésico-cirúrgico mais seguro. Desta forma, dia, horário e local de sua cirurgia serão combinados com seu cirurgião, e este informará à equipe.

-Como colaborar com o anestesista?
· Não coma ou beba coisa alguma pelo menos oito horas antes de sua cirurgia.
· Evite tranqüilizantes no dia da cirurgia. Eles serão administrados no hospital, como medicação pré-anestésica.
· Não mastigue chicletes ou gomas de mascar antes da cirurgia, pois isto provoca aumento de suco gástrico e ar no estômago, possibilitando também maior incidência de náuseas e vômitos no pós-operatório.
· Não deixe de tomar os medicamentos de que faz uso regularmente, a não ser por orientação expressa do seu médico. Além desses  

medicamentos, você deve dizer a seu médico quais remédios você tomou recentemente, bem como o que lhe causa alergias.
· Evite ir para a sala de cirurgia usando absorventes internos (OB), lentes de contato, cosméticos ou produtos de beleza, jóias, relógios, pulseiras, brincos, piercings, grampos de cabelo, cílios postiços ou quaisquer outros objetos desnecessários.

· Recomenda-se que você só deverá deixar o hospital na companhia de pessoa maior e responsável.

-O que é recuperação pós-anestésica?
Quando termina a cirurgia, o anestesista suspende os anestésicos e inicia-se o processo de recuperação da consciência ou regressão da anestesia. Isto pode demorar de alguns minutos até algumas horas, dependendo da duração, do tipo de anestesia aplicada e de sua sensibilidade individual.
Durante este tempo de recuperação, você estará sob cuidados de pessoal qualificado que lhe dará a devida atenção. Você só será levada(o) para seu quarto quando seu médico anestesiologista tiver certeza de que você não corre riscos maiores de depressão respiratória ou de outras intercorrências mais urgentes.

-Como você vai se sentir após a anestesia?
O que se vai sentir após a anestesia, como tudo em medicina, depende principalmente de cada indivíduo em particular, além do tipo de cirurgia, do tipo de anestesia, das condições físicas, de medicamentos que se está tomando, enfim, de múltiplos fatores. Graças às técnicas modernas de anestesia, atualmente muito poucos pacientes chegam a sentir-se realmente mal. No mais das vezes, o que se sente fica restrito a um pouco de frio (porque se perde temperatura no decorrer da cirurgia); este faz surgir um tremor, que é a defesa normal do organismo frente ao frio, que será diminuído com o uso de cobertores e/ou aquecedores.
Ocasionalmente podem ocorrer náuseas, tonturas e sonolência, que são controláveis com medicação específica.

-Qual o risco de uma anestesia?
São raros hoje em dia os acidentes ou complicações de uma anestesia. Com medicamentos, instrumental e técnicas adequadas, o anestesiologista reduz a um mínimo os riscos anestésicos, mas é claro que eles nunca chegam a zero, uma vez que há fatores de risco imponderáveis, ligados não só à anestesia, como à própria operação e particularidades do seu corpo. O seu médico anestesista sempre empregará todo seu conhecimento médico especializado, além de sua experiência clínica e perícia técnica, para o sucesso completo da operação a que você estará se submetendo.

-Por que o medo da Anestesia?
Todas as pessoas tem medo do desconhecido. É como viajar de avião. Quem nunca o fez, "morre" de medo. Outros, mesmo viajando, sempre também se preocupam. Mas milhares de vôos são realizados, no mundo todo, na mais absoluta segurança. Os poucos acidentes que acontecem são matéria para a imprensa divulgar com estardalhaço. Isso ajuda as pessoas a terem mais medo.

A mesma coisa acontece na anestesia: há medo do desconhecido e muitas divulgações alarmistas de raros acidentes. Como nas viagens de avião, diariamente, anestesiologistas qualificados aplicam milhares de anestesias, em todo o mundo, com toda a segurança. É bem por isso que você deve exigir que somente Anestesiologista qualificado o examine antes da operação, o oriente e faça a sua anestesia. Assim você pode evitar ou diminuir o medo da anestesia. Ouvir explicações sinceras e seguras reduz muito as ansiedades.

-Quanto custa uma Anestesia?
Depende bastante da operação, do tempo de trabalho e da complexidade. Mas se você é paciente particular, tudo será discutido, com antecedência, sem surpresas. Se você possui algum convênio, serão seguidas as regras e exceções da sua Instituição. As vezes poderão aparecer algumas diferenças que também serão discutidas com antecedência.

CONHEÇA  E  CONVERSE  SEMPRE  COM  SEU  ANESTESIOLOGISTA