GRAVIDEZ E CIRURGIAS PLÁSTICAS

Assim como o corpo muda por vários meses durante toda a gestação, a volta aos aspectos físicos de antes, depois do parto, demandará tempo e paciência de sua parte. Precisamos de um período de recuperação para se adaptar à nova realidade.

Sabemos das inúmeras transformações físicas, emocionais e hormonais que acontecem no corpo feminino durante toda gestação, e muitas pensam em recorrer à cirurgia plástica logo após o parto, e acha ser possível assim, tão simples. Estas alterações físicas ocorrem principalmente nos seios e no abdômen, devido ao acúmulo de gordura, flacidez de pele ou estrias pelo esticamenteo da pele local.

     Essas alterações variam com o excesso de peso ganho por cada mulher nesta época da vida. A cirurgia plástica pode ajudar sim, nesta recuperação da autoestima e do contorno corporal. Toda mulher sonha em manter o mesmo corpo de antes da gravidez o que acho não ser possível. Graças ao tempo e à mídia, a popularização da cirurgia plástica trouxe a possibilidade de várias medidas médicas para melhorias do corpo feminino, inclusive nesta fase da vida.

Ser atraente é uma condição na qual as pessoas não abrem mão e as mulheres seguem padrões estéticos mais rígidos e são mais cobradas até mesmo por elas próprias, e pelas amigas. Sabemos que os problemas mais comuns após uma gestação são as estrias, a flacidez das mamas, uma barriguinha indesejada (“sobra de pele”) e alguns quilos extras.

     O emagrecimento e a perda do edema (acúmulo de líquidos que acontece) é um processo gradual, que pode ser conquistado com ajuda de nutricionistas, com uma alimentação balanceada estabelecida antes, durante e depois da gravidez. Deve-se priorizar alimentos ricos em nutrientes, afastando-se das guloseimas.

Com a amamentação do bebê, o gasto energético também aumenta. Após quarenta dias do nascimento do bebê a mãe está liberada para atividades físicas segundo os obstetras. É importante também cuidar da hidratação da pele. Aquelas que engordam pouco em torno de 12 kg, normalmente tendem a chegar ao peso ideal nos primeiros meses seguindo estas recomendações.

Quando se indica cirurgias plásticas, isto é feito com muito cuidado, esperando-se o corpo voltar ao normal e o peso e hormônios se estabilizarem, em torno de três a seis meses, por conta da ação dos hormônios que agem durante a amamentação. A cirurgia plástica também não deve ser feita em conjunto com o parto, pois o corpo está totalmente modificado, o que inviabiliza uma avaliação precisa, além das alterações imunológicas, físicas e hormonais que causam a infiltração nos tecidos e dilatação dos vasos sanguíneos.

Outro aspecto importante é avaliar se a mãe planeja ter mais filhos. Com certeza, é ideal postergar uma cirurgia para depois da última gravidez. Uma eventual nova gravidez, pode prejudicar o resultado conseguido, pois com o ganho de peso e novo estiramento da pele principalmente do abdômen, possivelmente poderemos ter aparecimento de novas estrias e consequente flacidez. Pense sempre em tudo isso antes de solicitar ao seu médico, qualquer conduta neste período.