►Onde se localizam essas cicatrizes?

Na maior parte dos casos, os cortes são feitos na parte inferior da mama onde já existe um sulco natural da pele entre a mama e o tórax (chamadas de acesso infra-mamário). Também podem ser na borda das aréolas e na linha média da mama. Desde os primeiros dias pós-operatórios poderá ser usado um decote bastante generoso, pois as cicatrizes ficam bem disfarçadas. Com o decorrer do tempo (vide item anterior) elas vão ficando menos visíveis, dependendo de sua evolução particular como orientaremos.

 ►Eu ouvi dizer que algumas pacientes ficam com essas cicatrizes muito visíveis!

Certas pacientes apresentam tendência à cicatrização hipertrófica ou ao quelóide. Essa tendência entretanto, poderá ser  avaliada até certo ponto durante sua consulta inicial, quando lhe são feitas uma série de perguntas sobre sua vida de cirurgias anteriores, bem como a análise das características familiares, que muito nos ajudam quanto ao resultado das cicatrizes. Geralmente pessoas de pele clara não tendem a esta complicação cicatricial; pessoas de pele morena e amarela tem maior predisposição ao quelóide ou à cicatriz hipertrófica. Isto, entretanto não é uma regra absoluta. A análise dos antecedentes, como já o dissemos, nos facilitará o prognóstico cicatricial, assim como a análise de

eventuais cicatrizes prévias.

 ►Mas existe correção para essas cicatrizes?

Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar cicatrizes inestéticas, na época adequada, após os 6 meses de preferência. Não se deve confundir, entretanto, com a evolução natural do período imediato da cicatrização. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução cicatricial deverá ser esclarecida conosco, que faremos uma avaliação do estado em que se encontra a mesma.

 ►Como ficarão minhas novas mamas em relação ao tamanho e consistência?

Deverá existir uma harmonia estética entre o volume das próteses e o tamanho do seu tórax, característica esta que deve ser preservada durante o planejamento da cirurgia. A consistência será totalmente renovada, pois há um estiramento da pele local. Lembre-se desta observação: nenhuma mama será perfeita no pós-operatório imediato.

A mama assim operada, passará por vários períodos evolutivos que são:

  1. Período Imediato – Vai até o 30º dia. Neste periodo, apesar delas se apresentarem com aspecto bastante melhorado, sua forma e volume ainda estão aquém do resultado planejado.

  2. Período Mediato – Vai do 30º dia até o 3º mês. Neste período a mama começa a apresentar uma evolução que tende a ser definitiva. São caracteristicas deste período um maior ou menor grau de inchaço, além disso, o aspecto cicatricial encontra-se em plena fase de transição (ver item anterior). Apesar da euforia da maioria das pacientes, já neste período, costumamos dizer às mesmas que o resultado ficará melhor ainda, pois isto será a carcterística do período tardio abaixo.

  3. Período Tardio -  vai do 3º ao 18º mês. É o período em que as mamas atingem seu aspecto definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade etc). É neste período que costumamos fotografar de novo os casos operados, afim de compará-los com o aspecto pré-operatório. Tem grande importância no resultado final, o grau de elasticidade de sua pele, bem como o volume da prótese escolhida. O equilíbrio entre ambas varia de caso para caso.  

 ►Pode haver necessidade de se retirar mais pele?

 Sim. Em muitos casos quando já há queda das mamas (ptose mamária) por exemplo após amamentações e emagrecimentos maiores, serão necessárias maiores incisões (cortes) na base das mamas e até mesmo no meio das mesmas e em volta das aréolas, para levarmos as mesmas mais para cima na altura padronizada para tal. Assim, essas novas cicatrizes serão por sua vez maiores e mais marcantes. Discutiremos sobre isto na sua consulta e é importante que esteja bem ciente desta possibilidade, sob risco de não se conseguir elevar as mamas ou dar um formato duradouro para as suas próteses, podendo então acontecer nova queda das mamas se isto não for feito. A sua qualidade prévia de pele local, é muito importante. Aquelas que já tem estrias por exemplo, serão candidatas a se retirar mais pele mais de uma vez. Lembre-se que o volume escolhido por você, equivale ao peso da mesma, ou seja p. ex. 280 ml = 280 gramas. Portanto reconheça que podemos ter nova queda das mamas, mesmo com as retiradas citadas, pois não se pode dar pontos nas próteses para que elas fiquem mais altas.

 ►Em quanto tempo atingirei o resultado definitivo?

Apesar do resultado imediato ser muito bom, somente na fase mencionada como período tardio é que isto será mais bem visto. Durante suas consultas de retornos faremos avaliações das mesmas.

 ►Qual o tipo de maiô de banho que poderei usar após a cirurgia?

Em qualquer desses períodos, todo o tipo, de uma ou duas peças, desde que a peça superior não fique muito justa, ou exponha as cicatrizes ao sol. Sol direto somente é liberado após 60 dias. É claro que após o “amadurecimento” das cicatrizes, os maiôs poderão ser mais generosos ao seu critério.

 ►Em caso de uma gravidez, o resultado poderá ser prejudicado?

Você deverá controlar o ganho de peso, mas geralmente não há problema de nova gravidez interferir no resultado já que a cirurgia é realizada sempre, “fora do tecido mamário”. As próteses são colocadas logo atrás da glândula (chamadas de colocação Retro-Glandular) ou atrás da musculatura peitoral (chamadas de Retro-Muscular). Cada caso é avaliado antes da cirurgia, para esta decisão. Como já citamos, a produção de leite na amamentação, poderá levar a nova queda das mamas, também, além dos casos de ganho de peso/emagrecimento rápidos.

 ►O pós-operatório desta cirurgia é doloroso?

Geralmente não, desde que você obedeça às instruções médicas, principalmente no que tange à movimentação dos braços nos primeiros dias. Eventualmente poderá ocorrer manifestações dolorosas, como uma “sensação de estufamento”, e “falta de ar” nos primeiros dias, o que facilmente cederá com os analgésicos receitados por nós e com o passar do tempo. Naqueles casos de colocação Retro-Muscular, a dor com certeza será maior pelo trauma produzido no músculo Peitoral, exigindo assim uso de analgésicos mais potentes. Evite a automedicação seguindo nossas recomendações e receita, à risca.

 ►Há perigo nesta operação?

Raramente estas cirurgias de aumento mamário determinam sérias complicações. Falaremos de possíveis intercorrências e complicações mais abaixo. Isto se deve ao fato de se preparar convenientemente cada paciente, além de ponderarmos sobre a conveniência ou não da utilização das próteses de silicone, assim como sobre suas eventuais complicações.

 ►Qual o tipo de anestesia utilizada?

Anestesia geral na maior parte dos casos, mas podem ser com Peridural (na região da coluna), e ainda anestesia Local com Sedação, feitas pelos anestesiologistas. Cada caso é avaliado antes e concluiremos previamente à data marcada, juntamente com você.

 ►Quanto tempo dura o ato cirúrgico?

Em média de uma a duas horas. Entretanto, o tempo do ato operatório não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no Centro Cirúrgico, pois esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e a recuperação pós-operatória imediata. Nós poderemos lhe informar quanto ao tempo total.

 ►Qual o período de internação?

De meio dia a 24 horas se necessário.

 ►São utilizados curativos?

Sim. Curativos oclusivos sobre os pontos com o uso de fitas microporosas, especialmente adaptados para cada tipo de mama. São trocados temporariamente pela própria paciente sem qualquer dificuldade, a partir do 2º dia pós-operatório, como orientaremos.

 ►Quando são retirados os pontos?

Geralmente são utilizados fios especiais que são retirados entre o 8º e 12º dias por nós, na clínica.

 ►Quando poderei tomar banho completo?

Dependendo do caso, até no dia seguinte à cirurgia. Tudo irá depender da evolução da sua cirurgia, assim como o tipo do curativo, observando-se apenas os cuidados especiais que serão orientados por nós. Até a retirada dos pontos, recomendo que use um sutiã  até durante os banhos nos primeiros 10 dias.

 ►Qual a evolução pós-operatória?

Você não deve se esquecer que até que se atinja o resultado almejado, as mamas passarão por diversas fases. Se lhe ocorrer a preocupação no sentido de desejar atingir o resultado definitivo antes do previsto, não faça disto motivo de sofrimento; tenha a devida paciência, pois seu organismo se encarregará espontaneamente de dissipar todos os transtornos imediatos que infalivelmente chamarão a atenção de alguma outra pessoa que não se furtará a observação: Será que isto vai desaparecer mesmo? É evidente que toda e qualquer preocupação de sua parte deverá ser transmitida a nós que lhe daremos os esclarecimentos necessários para a sua tranqüilidade.

 ►Quando poderei retornar aos meus exercícios?

Depende do tipo de exercícios. Aqueles relativos aos membros inferiores poderão ser iniciados após 15 dias, evitando-se o “alto impacto”. Os exercícios que envolvam o tórax e braços, geralmente devem aguardar 3 meses.

A tempo: proíbe-se elevar os braços, levantar peso, fazer força para empurrar ou puxar até que nós a liberemos.  Afazeres domésticos também podem ser prejudiciais à sua recuperação, não se esqueça.

 ►O que vem a ser o endurecimento das mamas que pode acontecer após esta cirurgia?   

    Cápsula, retração, o que é isto?

Esse endurecimento é uma retração cicatricial natural que acontece internamente, mas de uma forma exagerada, formando uma cobertura normal chamada cápsula fibrosa, que se forma em torno das próteses, determinando certo grau de endurecimento à região, quando palpada, e pode vir acompanhada de dor. Nem toda paciente forma esta cápsula endurecida mas quando ocorre e ocasiona alterações da forma das mamas ou dor incontrolável, as próteses poderão e talvez deverão ser retiradas, através das mesmas cicatrizes. Em caso de esvaziamento, esta palpação poderá ser mais acentuada.

É importante lembrar que essa retração desta cápsula nunca reflete imperícia do cirurgião, mas sim, um comportamento reacional atípico de cada paciente, devido à presença dos corpos estranhos no nosso organismo.

Não cabe ao cirurgião qualquer responsabilidade em gastos futuros com reintervenções que porventura sejam necessárias, decorrentes de retrações capsulares, endurecimento das mamas, rupturas tardias das próteses ou seu eventual esvaziamento. Atualmente o número de retrações capsulares diminuiu bastante, devido ao advento de inovações técnicas introduzidas na cirurgia plástica, como próteses de melhor qualidade. Posteriormente, ambos, cirurgião e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência ou não da reintrodução de outras próteses, um diferente plano de introdução ou outra conduta que melhor se adapte ao caso.

 ►Deverei trocar essas próteses com o tempo?

Com a qualidade que se chegou hoje na produção dessas próteses, as próprias fábricas já dão um certificado de garantia vitalícia. Eu passarei a você este documento. Não há obrigatoriedade desta troca. Logicamente necessitaremos acompanhar sua evolução durante a vida e principalmente por volta de dez anos do implante. No Brasil, por recomendação do Ministério da Saúde, estas próteses devem ser trocadas após dez anos.

 ►Quais as possíveis intercorrências ou complicações que poderemos ter?

- Hematomas: são coleções de sangue que podem ocorrer nas áreas tratadas, devido ao trauma produzido nos vasos sanguíneos locais durante os descolamentos para dar espaço às próteses. Mais comum nos casos de colocação Retro-Muscular. Por isso necessitamos acompanhar de perto sua evolução. Ainda, por isso é muito importante o seu repouso.

- Infecções: apesar de serem raras, podem acontecer, o que necessitará intervenção cuidadosa nossa, e de sua parte todos os cuidados domiciliares. A maioria dessas infecções são provenientes de seu próprio corpo, mas ainda assim, damos de rotina durante a cirurgia, antibióticos, para tentar reduzir esta possibilidade. Por isso também é muito importante os cuidados com as mãos de quem for fazer seus curativos.

- Seromas: são coleções retidas de líquido linfático (a parte líquida de nossa sangue), que podem ser sentidos até tardiamente, e é por isso que indicamos no pós operatório, massagens de drenagem linfática nas áreas operadas.  Repouso é fundamental também.

- Manchas da pele: como extravasa sangue nos locais tratados, estas marcas chamadas equimoses, podem marcar a pele por muito tempo, ou em alguns pacientes ficarem permanentes, o que é mais raro. Por isso o sol direto nas mamas é proibido por até 90 dias como explicado no consultório.

- Irregularidades de superfície: algumas irregularidades como depressões, saliências, ondulações da pele (chamadas de Ripplings) podem persistir, por muito tempo, pela presença dos implantes sob a pele, mais visível naquelas pessoas mais magras, o que pode ser melhorado pelas massagens citadas, ou necessitarem de reintervenções para melhorias. Acompanharemos de perto. Use o sutiã corretamente e faça todas as massagens indicadas, para tentar reduzir estes inconvenientes.

- Cicatrizes ruins: cada local de incisão gera uma cicatriz que pode ser muito boa ou não, ficando mais comumente escurecidas, o que é comum em pessoas de pele morena ao negro, mas pode acontecer em qualquer um. Sempre existirão cicatrizes. Serão tomadas medidas de evitar-se esta ocorrência, tanto durante a cirurgia quanto depois.

- Estrias: caso voce seja propensa, mesmo com todos os cuidados, poderão ocorrer pelo estiramento da pele produzida pelas próteses. Isso independe do tamanho dos implantes, mas é lógico, quanto maior os mesmos, maior é a possibilidade de ocorrerem. Então não se tem como saber previamente aquela pessoa que ocorrerá.

  Hidrate bem sua pele. 

- Exposição da prótese: pode ocorrer a exposição até mesmo pequena de uma prótese, em caso de abertura dos pontos durante a cicatrização por alguma intercorrência como nas infecções, o que acarretará a necessidade de se retirar as mesmas devido à sua contaminação quando expostas. Deveremos esperar algum tempo (pelo menos de 6 meses) para uma nova cirurgia de recolocação de outras.

- Necessidade de retirada das próteses: quando acontecem infecções mais severas, caso não se consiga solução com antibióticos, pode ser necessário reinternação para tratamento específico até mesmo com antibióticos endovenoso (aplicados na veia), e quase sempre é necessário a retirada das próteses com uma nova cirurgia, pois elas perpetuam uma infecção ficando colonizadas pelas bactérias, e dificilmente se consegue solução. Então, mais um motivo para voce se cuidar, até mesmo durante os curativos, com higiene rigorosa e material apropriado.

-Encarceramento de uma (ou das duas – mais raro), das próteses. Ocorre quando uma prótese, nos casos de colocação Retro-Muscular principalmente, fica mais alta na parte de cima da mama dando um aspecto feio e estranho, diferente do outro lado, que ficou na altura deixada durante a cirurgia. Isso ocorre quando a cicatriz interna em volta da prótese, a puxa para cima e pela força do músculo peitoral local, mesmo em repouso, o que é difícil de manter, pois, não se pode dar pontos nas próteses para que ela fique em uma altura boa. Além das massagens que se indica, pode-se fazer uso de uma faixa de compressão torácica acima das mamas, para se tentar manter as mesmas em uma altura considerada normal, que é o nosso intuito também. 

- Rotação da prótese: ocorre quando uma prótese “roda” dentro da mama, por alguma compressão externa maior até ao deitar-se de lado. A mama fica achatada com a superfície reta. Isso ocorre raramente ma pode acontecer necessitando reavaliação nossa para resolver, com possível massagem ou condutas cirúrgicas.

-Embolias e Tromboses: Estas são ocorrências mais raras nesta cirurgia mas pode acontecer, de se formarem coágulos nos vasos sanguíneos das pernas ao ficar-se muito tempo deitada em uma só posição, e a entrada desses coágulos em um vaso sanguíneo, podem obstruir a passagem de sangue. Quando ocorrem nos pulmões ou outros órgãos, acarretam problemas graves nos mesmos. Orientarei mais nas suas consultas e tomaremos algumas condutas quanto a isto, principalmente, prescrevendo medicações específicas para estas intercorrências e fazer você sair mais rápido da sua cama no hospital, já na internação. Cada caso será avaliado. Por isso também, as informações médicas fornecidas previamente por você são importantes. 

-Morte: mas pode ocorrer? Sim. Nenhum médico é capaz de ter certeza dessa não ocorrência. Todas as medidas possíveis são, e serão tomadas, para se evitar males maiores, mas acontece de alguma paciente de outros colegas de outras cirurgias, ter morrido antes, e ficar-se com medo disto. Lembre-se que os exames pré-operatórios e avaliação pré-anestésica, são também para se achar alguma possível alteração em seu corpo, que poderioa prejudicar sua evolução e seu resultado.

  Por isso também, as informações médicas fornecidas a voce, por nós, previamente, são importantes.

  Esta despretensiosa mensagem foi elaborada com intuito de informá-la a respeito da cirurgia estética

com implantes nas mamas.Teremos imenso prazer em esclarecer detalhadamente quaisquer outras dúvidas.

Siga as outras recomendações abaixo e tire conosco suas eventuais dúvidas.

                                                                           

        RECOMENDAÇÕES SOBRE A CIRURGIA DE AUMENTO DAS MAMAS

 

    ►RECOMENDAÇÕES PRÉ-OPERATÓRIAS:

Tenha real certeza do tipo e tamanho das próteses que lhe serão introduzidas bem antes da cirurgia; não há como testá-las durante a cirurgia, nem trocá-las logo após.

Compareça ao hospital indicado na guia de internação, obedecendo ao horário estabelecido e em JEJUM absoluto de pelo menos 8 horas;

Proibido bebidas alcoólicas ou refeições “fartas” na véspera da cirurgia;

Evitar todo e qualquer medicamento para emagrecer que eventualmente esteja usando, por um período de 10 dias antes do ato cirúrgico. Isto inclui  também certos diuréticos;

Comunique-se conosco até à véspera da cirurgia, em casos de gripe, indisposição ou antecipação do período menstrual;

Programe suas atividades sociais, domésticas, profissionais ou escolares, de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 10 dias.

 

►RECOMENDAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS:

Evitar esforços nos primeiros 15 dias, até mesmo dirigir;

Não movimentar os braços em excesso. Obedeça às instruções que lhe serão dadas por ocasião da alta hospitalar, relativas à movimentação dos  membros superiores ou massagens;

Evite molhar os curativos, até que seja autorizado a fazê-lo; Obedeça à prescrição médica;

Não se exponha ao sol ou friagem até segunda ordem;

Alimentação normal (salvo casos que receberão a devida orientação), a partir do segundo dia, principalmente à base de proteínas (carnes, leite, ovos) e vitaminas (frutas);

Voltar ao consultório para curativos subseqüentes, nos dias e horários que serão marcados (obrigatório).

Provavelmente você estará se sentindo tão bem, a ponto de esquecer-se de que foi operada recentemente.

CUIDADO! Esta euforia poderá levá-la a um esforço inoportuno, o que determinará certos transtornos;

Não se preocupe com as formas intermediárias nas diversas fases da recuperação

Tire conosco suas eventuais dúvidas – 99105-8289.

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES À CIRURGIA DE IMPLANTES MAMÁRIOS DE SILICONE GEL

Leia com atenção as observações que faremos às inevitáveis perguntas que todas as candidatas à cirurgia de aumento das mamas costumam fazer ao seu cirurgião plástico.

 ►Estas cirurgias deixam cicatrizes?

Sim, pois não existem cirurgias sem cortes ou sem cicatrizes, mas felizmente, estas cirurgias permite-nos colocar as cicatrizes bastante disfarçadas, o que é muito conveniente nos primeiros meses.

Para melhor esclarecê-la sobre a evolução cicatricial, vamos relatar os diversos períodos pelos quais as cicatrizes infalivelmente passarão.

a- Período imediato: vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto pouco visível; alguns casos apresentam uma discreta reação aos pontos ou ao curativo ficando avermelhadas;

b- Período mediato: vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período há o espessamento natural da cicatriz bem como se inicia uma mudança de cor da mesma, passando para mais escuro (do vermelho para o marrom) que vai aos poucos clareando dependendo do tipo de pele de cada paciente. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pessoas. Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais;

c- Período tardio: vai do 12º ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente,  atingindo assim o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo da cirurgia no tocante à cicatriz, deverá ser feita após este período.